sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Ansiedade pelo fim do mundo...

Eu já falei várias vezes sobre o meu amor pelo History Channel. Eu adoro este canal pelo simples fato de que adoro história... Quando eu era estudante, em 1920, fazia parte das pessoas que sentava no fundão da sala... Mas eu estava lá por simples interesse do meus amigos "populares"... Assim era mais fácil eles colarem de mim nas provas de história, português, geografia e ciências.... Em matémática, física e química eu várias vezes tive que apelar para as habilidades que aprendi com o Mcgiver: cola na caneta, na perna, no braço e um moderno sistema na borracha... A questão é que cada vez mais tá complicado controlar a ansiedade pelo fim do mundo ao assistir o History Channel e eu tb acho isto do Discovery... No Desvendando o Passado desta semana pude assistir as profecias por trás do Nazismo... e fiquei passada... Porque até Nostradamus previu o que seria o Terceiro Reich e o que viria depois dele...anunciando inclusive que o nazismo não teria fim... A gente sabe que ele não tem fim mesmo. No dia seguinte foi a vez de Desvendar o Alcorão... Bom aí a coisa ficou pior.... porque o fim do mundo está próximo desde antes de Cristo... Alguém já assistiu o programa sobre os profetas??? Este dá vontade de você mudar para um bunker embaixo da terra.... Lá onde eles fizeram o cofre das sementes. Boa idéia esta né??? Mas é ao mesmo tempo saber como as coisas foram inventadas e como a história nos determinou... O próximo programa que vai estrear é "A Terra sem ninguém"... pelo amor.... Acho que não vou conseguir assistir. Aliás eu queria aproveitar para dizer que to irritada com o fato de Men in trees está sendo reprisado sem parar o mesmo capítulo... que coisa chata!!! Bom se alguém tiver uma teoria sobre o fim do mundo ou entender mais de Nostradamus por favor colabore... To a fim de desvendar o profeta do fim do mundo!!!

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Até os ETs querem o nosso álcool!!!

Nos últimos dias foram registrados estranhos acontecimentos nos canaviais do interior de São Paulo. Há quem diga que a conta já passa de 50 registros de UFOs e OVINS na região. Sabe aquele filme com o Mel Gibson, Sinais?? Pois é.... a hitória é mais ou menos do mesmo jeito.... Agricultores pacatos vão dormir num dia e no dia seguinte acordam com um estranho círculo, muito bem marcado, no meio das plantações... Não é possível ser vento, nada é arrancado, nada é queimado... A cana é simplesmente amassada dentro de um círculo perfeito e o solo é ligeiramente afundado!!!??? Mas como?? Como disse Jodie Foster no filme "Contato", seria um desperdício se só existisse vida no planeta Terra... Sabemos que o universo é bem maior do que nossa insignificância... Mas a questão que fica me intrigando é: por que o canavial?? Por que a cana?? Seriam os ETs amantes da cachaça?? Estão testando uma nova combinação além do pastel de queijo com garapa?? Será que eles finalmente descobriam como é possível assobiar e chupar cana?? Ou será que eles também estão interessados no álcool brasileiro como nova fonte de combustível??? Tudo pode ser possível... mas que é bem estranho, ah isto é!!! O Brasil vai negociar com extraterrestres a venda de álcool??? Sai no jornal: Habitantes da Estrela 5, da distante Galáxia 38, do Sistema Solar 1050, já utilizam carros movidos à álcool!!!??? É... as coisas estão mudando... Será que finalmente faremos contato????

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Rilke again...

((Se tem um livro que sempre leio é "Cartas a um jovem poeta" de Rainer Maria Rilke. Este pequeno livro sempre me surpreende. Hoje, mais uma vez abri o livro sem querer e me deparei com o seguinte trecho... espero que gostem))
"Acredito que quase todas as nossas tristezas são momentos de tensão, que sentimos como uma paralisia porque não ouvimos o ecoar da vida dos nossos sentimentos que se tornaram estranhos para nós. Isso porque estamos sozinhos com o estranho que entrou em nossa casa, porque tudo o que era confiável e habitual nos foi retirado por um instante, porque estamos no meio de uma transição, em um ponto no qual não podemos permanecer. É por issto que a tristeza também passa: o novo em nós, o acréscimo, entrou em nosso coração, alcançou seu recanto mais íntimo e mesmo ali ele já não está mais - está no sangue. E não percebemos o que houve. Seria fácil nos fazer acreditar que nada aconteceu, no entanto nos transformamos, como uma casa se transforma quando chega um hóspede. Não somos capazes de dizer quem chegou, talvez nunca cheguemos a saber, mas vários sinais indicam que o futuro entra em nós dessa maneira, para se transformar em nós muito antes de acontecer."

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

O tempo e a saudade

Já virou lugar comum para mim falar sobre o tempo... Ou melhor o tempo que não tenho... Corro muito, estou sempre atrasada, durmo pouco, faço um milhão de coisas ao mesmo tempo... Qual a razão de tudo isto?? Sinceramente não sei... As vezes acho que é para pagar as prestações das Casas Bahia e o aluguel... as vezes acho que é porque vesti a camisa da mulher-maravilha, acho que posso tudo e já não sei mais arrancá-la de mim. Eu sempre fui pilhada... sempre... não lembro de mim de outra forma... Mas eu passei a desenvolver o "pilhado-zen" se é possível isto existir... Contudo as coisas que me dão muito prazer... como este blog por exemplo, as vezes ficam de lado.... O que é muito triste... porque eu tinha um monte de coisas para falar com mais fundamento... Mas vou ter que ser "notas rápidas"... Queria começar lamentando a morte do Henry Salvador. Para muitos esta história de que ele foi o percusor da bossa-nova é balela... Tom Jobim jamais ouviu uma música sua e no momento seguinte começou a compor bossa-nova...Não foi assim... Henry Salvador é uma tristeza suingada... De um tempo que não volta mais: os anos 50 e toda a sua inocência. Eu gostava de ouvir a noite... enquanto pensava na vida e como seria bom tomar uma cuba-libre, de frente para o mar, contando estrelas... É pensando bem... isto seria muito bom, mesmo sem o Henry Salvador. É bom para dançar coladinho... para aqueles que gostam de dançar coladinho. Adeus Henry e o seu suingue... Recomendo a todos o filme P.S eu te amo. Fazia tempo que não chorava tanto num filme... Olha no começo do filme eu já estava em prantos... Depois que terminou demorei para enxugar as lágrimas. Bom roteiro... boa história de amor. Queria dizer também que depois de um profundo estudo sobre o meu guarda-roupa eu descobri que sou louca, compulsiva por bolsas... Acho melhor parar com isto... tá ficando caro. Bom... a minha última questão veio hoje: Cuba sem Fidel?? Fidel sem Cuba?? O que será?? Eu acho que tudo isto é uma simples troca de cargo entre irmãos. Vcs também não acham??
Ah do que eu tenho saudade?? Neste exato momento... tô com muita saudade do mar... muita mesmo. Preciso ver minha mãe... Desculpe a demora em postar... vou tentar ser mais rápida. Acho que vou mudar o endereço do blog para um outro serviço onde vc pode programar as postagens... Mas por enquanto tô sem tempo... Tô procurando umas poesias novas também... Muito obrigada pela visita... voltem sempre. Por favor não me abandonem...

domingo, 10 de fevereiro de 2008

A língua que lambe la terra..

Escritores brasileiros e paraguaios uniram-se numa missão incrível: legitimar o portunhol. Los escribas Xico Sá, Douglas Diegues, Joca Reiners y Ronaldon Bressane encabeçam a missão que para mim é a salvação da lavoura. Aquilo que finalmente fará uma ligação com os povos da América Latina. Talvez o portunhol não seja institucionalizado... Talvez ele não venha a ter uma gramática oficial, escrita pela Academia Latino Americana de Letras, talvez ele seja um dialeto... falado nas ruas, nas fronteiras, nos bares, nas esquinas... Talvez ele seja escrito no msn, nos e.mails, nos blogs e em todos os lugares onde o "oficial" não precisa necessariamente existir. Nada em nenhuma cultura é tão vivo quanto a língua... Ela se mexe mesmo... Capaz de sair da boca pequena e lamber toda a terra... O portunhol vai avançar lentamente entre nós. Algumas gerações precisarão vir para que ele tenha força. Mas um dia terá. Já começou a aparecer no jornal. Afinal este domingo o Estadão publicou sua primeira matéria em portunhol. Claro que era uma matalinguagem, já que o artigo tratava do tema... Mas, não deixa de ter o seu valor. O Brasil não pode mais ser um continente, dentro do continente. Não podemos ficar de costas... Está mais do que na hora de virar e olhar para dentro. Comparar as nossas histórias, compreender nossas diferenças, viver com elas e estabelecer comunicações... Além de estradas. Através da língua. Já estou começando a estudar o portunhol... Si... es preciso... Por enquanto o movimento trata o portunhol como uma língua selvagem.... Faz sentido: já que ela nasceu na fronteira do Brasil com o Paraguai... Quer lugar mais selvagem do que este??? Hablas portunhol??

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

As I am


Este é o nome do terceiro disco de inéditas da já consagrada cantora de R&B americana Alicia Keys. Aos 27 anos, Alicia é colocada no mesmo patamar de Roberta Flack. Concordo em partes... Alicia não tem o mesmo sofrimento de Roberta, mas as duas tem um poder vocal indiscutivel. Dizem que ela pode também ser comparada a Lauren Hill... Então, Alicia é indiscutivelmente mais simpática que Lauren, diva demais para o meu gosto. "As I am" é um disco poderoso, produzido para a voz de Alicia brilhar. Funciona muito, deu muito certo e desde que foi lançado em meados de novembro do ano passado, vem bombando nas paradas de sucesso do mundo todo, inclusive no Top 1 aqui de casa. Destaco duas músicas muito lindas "Superwoman" e "I need". Todas as faixas se encaixam muito bem e formam um conjunto melódico sensacional. É R&B, mas também bebe na fonte do melhor pop/rock. O disco ainda conta com participações especiais como o guitarrista-gatinho Jonh Mayer na caprichada faixa "Lesson Learned". Sinceramente "As I am" não pode ser comparado ao primeiro disco de Alicia "Songs in a Minor" este sim impecável. Nas últimas faixas o disco se torna um pouco cansativo, mas não deixa de ser bom... Apenas parece ser o mais do mesmo. Vale a pena, sem contar que é um disco bem romântico. Os críticos disseram que o ponto fraco do disco são as letras meio bobas... Nem todas são ruins... Mas o amor é bobo, como a gente sabe. Alicia é sim um grande cantora. Vale a pena conferir.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Gladiadores modernos

Estava assistindo TV (pra variar) e vi uma matéria no Domingo Espetacular da Record que me deixou mais uma vez indignada. Rapazes lutadores de jiu-jitso ganham a vida em lutas clandestinas por 700 real. É uma espécie de Vale-tudo, mas vale-tudo mesmo... Se morrer é melhor. A coisa funciona em arenas montadas em mansões no Rio de Janeiro onde aqueles playboys de sempre, que espancam mulheres na rua e treinam sem parar, vão assitir aos lutadores. A arena é montada em piscinas vazias. As apostas são altas. Na matéria aparecia um garçom servindo cocaína numa colher... O garçom tirava o pó de uma alta montanha numa bandeja e colocava uma colher de sopa cheia num prato. Uma menina esticava as carreiras para os meninos, que gritavam pelos seus lutadores. Muitas brigas terminam em morte, já que é terra sem lei, sem regra e não tem nada, absolutamente nada a ver com o esporte. Também aparece uma luta feminina, onde um mulher bate na outra até a sua adversária morrer. Não tem diferença nenhuma com os gladiadores da Roma Antiga. É bizarro, violento e bárbaro. No sentido da barbaridade. Durante muito anos trabalhei no jornalismo esportivo e cobri os mais diferente tipos de campeonatos de lutas. Fui produtora de um programa só de boxe. Passei a entender a luta, sua pontuação e já disse que tirando o peso-pena, o boxe e outras lutas esportivas tem o seu valor. Mas isto... O que é?? Diversão? Grana fácil?? As lutas entre os gladiores são consideradas a primeira organização do que veio a se chamar show bussines, já que mobilizava milhões de pessoas. Os lutadores eram escravos, escolhidos por sua força física, confinados em quartéis para serem treinados. Mas isto já faz muito tempo, acredito sinceramente que nestes mais de cinco mil anos de história podíamos ter evoluído para alguma coisa melhor do que esta demonstração de barbaridade. Também é uma pena que o esporte amador no Brasil seja tão jogado as traças... É uma pena que o atleta no Brasil seja quase um nada, vivendo de sua própria sorte... Um rapaz que poderia ser campeão do Pride (o maior campeonato de Vale-Tudo do mundo), está dentro de uma piscina, lutando para ricaços burros se divertirem, coberto de sangue, por míseros 700 real. O que???

Entrando na avenida

Sexta-feira eu desfilei pela Acadêmicos do Tucuruvi, no Grupo Especial da Liga das Escolas de Samba de São Paulo. Não sei direito como foi a recepção do público, pelo que li na internet não foi muito boa... Mas para mim foi sensacional!! Desde o primeiro momento em que vc veste a fantasia, até a hora de passar a linha amarela e entrar é muito legal...
O tempo de espera e organização da escola também é uma logística que a gente não faz idéia. Vc precisa se manter me linha, no lugar onde te mandam, não pode sair (um monte de gente sai...), vc tem que andar no ritmo que te mandam (um monte de gente ou corre ou desencana). Aí quando do desfile começa e vc escuta o samba (que não sai da minha cabeça), a bateria, a escola toda cantando... O coração dispara e vc simplesmente faz parte da massa... A única coisa que tem que fazer é sambar, cantar e ser feliz... Antes do desfile o costeiro pesa, as plumas te fazem espirrar e aquele tecido esquisito da fantasia pinica muito... Mas na hora do desfile, vc não sente nada... Só uma emoção muito grande. O chato é que passa muito rápido, quando vc vê já atravessou o Sambódromo... dá vontade de voltar de começar tudo de novo... Ano que vem vou de novo. É bem legal.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

To me guardando para quando o carnaval chegar...

Com esta frase, trecho de uma música de Chico Buarque, o programa Saia Justa abriu sua discussão sobre carnaval esta semana. E eu fiquei pensando nesta coisa de esperar o carnaval. Acho que o mundo pode ser dividido entre as pessoas que amam carnaval e as que odeiam. Eu faço parte do primeiro grupo. Sou uma foliona!! Gosto muito. Pulo carnaval há bastante tempo e para mim o carnaval que gosto é o do interior de Minas Gerais, os famosos carnavais de Mar de Espanha. Tenho uma coleção considerável de vexames, como da última vez sob a má influência de minha irmã... Cheguei na casa de minha avó carregada por uma ex-aluna da minha mãe... É, rídiculo. E olha que já tô velha para estas coisas. Culpa do cajuzinho, a bebida do demo. Depois disso passei os outros quatro dias em casa sem por o nariz na rua. Mas nem sempre fui assim... Lembro de um carnaval quando era adolescente que estava esperando com muita ansiedade. Eu e meus amigos tinhamos feito camisetas, fiz uma fantasia... Já tinha ganhado uma caixa de cerveja por sair fantasiada de Perpétua (aquela do Roque Santeiro) no Zé Pereira, bloco que sai toda quarta e sábado de janeiro antes do carnaval. A minha fantasia de Perpétua foi a melhor. Só que aí uma semana antes do carnaval eu fico com Rubéola. Mas uma rubéola daquelas.... Enquanto todo mundo se preparava eu na cama... Com dores no corpo, febre... Mal. Ainda bem que a rubéola só dura uma semana e no sábado de carnaval eu já estava curada e pronta para os quatro dias de folia.... Ri muito. A minha família também contribui. Todo mundo gosta e participa. A foto do meu pai de baby-doll rosa é impagável. Devo ter desenvolvido poderosos anticorpos contra fungos e bactérias nos pés, já que todo carnaval eles ficavam destruídos e com uma cor preta preocupante. Terro de carnaval: dar uma dormidinha na terça no fim do dia e só acordar desesperado na quarta-feira de cinzas as nove da manhã. Já aconteceu comigo. Bom já aconteceu muita coisa comigo em carnaval, não dá pra lembrar de tudo e para falar a verdade é melhor deixar pra lá. Com o passar dos anos esta ansia pelo carnaval vai se acalmando e hoje eu nem ligo mais quando vou ficar longe da folia. Este ano, pela primeira vez, vou desfilar numa escola de samba. A Acadêmicos do Tucuruvi. Meu bairro, onde nasci e me criei. Estou ansiosa... depois conto os detalhes. Mas vai ser só isto. Os outros dias pretendo assistir filmes, trabalhar um pouco e dormir... Não ligo muito: "quanto ao saco dos confetes, já passou meu carnaval...