terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Puff... se foi

No fim do ano fui surpreendida pela notícia da morte do jornalista Daniel Pizza. Eu fiquei bem triste. Ele morreu aos 41 anos, jovem e com muita coisa pra fazer. Morreu de um AVC. Vai saber se esta era a hora dele ou não. Esta resposta a gente nunca terá. Mas estas saídas repentinas deixam na gente aquela sensação de a qualquer momento pode ser você. E aí? O que falta ainda pra fazer? Daniel publicou 17 livros, escrevia no Estadão, falava no rádio... Pensando que o Ruy Castro lançou o seu primeiro livro aos 41 e o Woody Allen começou as 37 anos... assim como tantas outras pessoas, ele estava só começando. É difícil deixar de pensar nisto. No que mais poderia vir pela frente que foi abrevidado pela certeza constante da vida, que é a morte? Este clichê perverso que está sempre ao nosso lado, mesmo que a gente ache que este dia vai demorar a chegar... Assim toda a preocupação, toda a tristeza, toda a agonia, e ansiedade e depressão, e raiva e magooa... todas estas coisas também vão embora com a gente na hora da morte. Viram pó... da mesma forma. Perdem o sentido, a importância... Então pra quê né?? Vai saber... o que a gente ainda não aprendeu.  Não tenho medo da morte, mas ela mexe comigo... Ela no sentido a entidade... sim porque a morte é uma entidade. Um ser que nunca vamos desvendar. Nossa maior certeza e também mistério. Que independente de vc ser rico, pobre, digno, ladrão ela vai te encontrar... Num instante... puff já era... já foi. Então o que nos resta fazer é seguir...e torcer para que a hora do encontro seja menos doída, no tempo... que fique a certeza de uma boa vida... que a lápide e o obtuário sejam a confirmação de uma vida feliz. Mesmo sem saber é preciso fazer a nossa parte...

A tradicional mudança

Todo ano, faça chuva ou faça sol, eu mudo a cara do blog... pus aí uns passarinhos... Gostei da simplicidade. Queria tirar estes anúncios do blog... mas me parece que se eu fizer isto serei atacada cibernéticamente e minha vida virtual corre o risco de sumir... Eu também não sei fazer isto. Já tentei... me falaram para mudar de endereço. Eh... putz dá um trampo fazer isto sabia... Aliás dá um trampo ter o blog... Sei que vc vai dizer que não escrevo nada aqui nunca... eh verdade. Não queria tocar neste assunto velho de novo... mas fazer o quê? Se serve de consolo é como carregar uma terrível culpa... vc sabe que deveria entrar... fazer qualquer coisa... mas deixa pra lá... conheço um monte de gente que é assim formamos os expatriados da blogosfera... Aqueles cidadãos que um dia serviram a esta terra distante e agora preferiram ir cantar em outra freguesia, como o Facebook... Mas a mudança de começo de ano não deixo passar. Gosto de pensar que sou um ponto perdido na nuvem internética. E isto eh verdade... vc consegue ver quantas pessoas entraram no seu blog e o que estavam procurando. O hit número um do meu blog é um post de 2008, ou sei lá quando não vou procurar em que falo sobre o filme "Talvez algum dia" um hit master plus da sessão da tarde nos anos 80... Então eh isto aí... Vou ficar por aqui... de vez em quando venho aqui neste país, na blogosfera. Aliás eu pensei nisto porque vi estes dias umas pessoas nos EStados Unidos que querem fundar um país no meio do mar. Eu achei isto incrível. Realmente uma nova época. Quando li isto pensei no rumo que a vida humana está tomando. 2012 é o ano que dizem o mundo vai acabar... Sabe, tenho a mais absoluta certeza que não. Mas tenho certeza que este mundo como conhecemos não vai exitir mais. Viveremos mudanças de paradigmas, de dogmas, de conhecimentos. Vamos construir novos paises, no mar... Que sociedade será esta? Talvez sem tantas diferenças e ostentações, mais simplicidade... Torço para que todas estas mudanças aconteçam  com paz, amor, alegria e saúde. Eh isto que desejo para 2012! Mesmo sabendo que isto é muito difícil... mas não consigo perder a esperança. Aliás a esperança e a fé. Uma sem a outra não adianta nada. São duas palavras irmãs.